A Formação de Portugal

Portugal vem de Portus Cale nome que os romanos deram a antiga cidade do Porto e daqui proveio o nome do país inteiro.

E no século XI o território que atualmente faz parte de Portugal, do rio Mondego para o sul ainda  estava ocupado pelos Sarracenos, e desse rio para o norte pertencia ao Rei Leão.

Ainda não existia a nacionalidade portuguesa, aquele século foi o de luta mais intensas entre os cristãos e os maometanos, o território ocupado pêlos cristãos estava dividido em dois condados:

o de Porto-Cale e o de Coimbra, e quando Afonso VI reinava em Leão, chegou a península para lutar contra os Mouros o nobre francês Henrique de Borgonha, que pelos serviços prestados na guerra recebeu como recompensa do Rei Afonso VI a sua filha Dona Teresa em casamento e o governo do Condado Portucalense, o Conde Henrique anexou ao seu domínio o Condado de Coimbra e procurou se manter independente, quando de seu falecimento a sua viúva assumiu ao governo pois o seu filho e herdeiro Afonso Henrique tinha apenas três anos de idade nesta ocasião. Dona Teresa alimentou a ambição de declarar a independência de Portugal e coroar-se rainha, porém desgostou a nobreza do condado ao transferir para o Conde de Trava, fidalgo galego.

D. Afonso Henriques

D. Afonso Henriques

Dom Afonso Henriques ao completar dezoito anos colocou-se a frente de um movimento armado que terminou pelo derrota dos partidários do Conde de Trava e de Dona Teresa, logo a seguir Dom Afonso Henriques entrou em  guerra incessante contra o Rei Afonso VII de Leão e contra os Mouros na parte meridional do Condado de Coimbra, alcançou uma grande vitória contra os Sarracenos na Batalha de Ourique em 1139 e obteve alguns sucessos  parciais contra os leoneses, com isto conseguiu que o Rei Afonso VII o reconhecesse como Rei de Portugal em 1140, pouco depois o seu titulo foi confirmado pelo Papa e dessa forma Dom Afonso Henriques o conquistador fundou  uma nação, estava realizado por intermédio de seu filho o sonho do Conde Henrique de Borgonha.

Porém restava, uma tarefa bastante árdua, o de reconquistar o território dos Mouros e dilatar o seu domínio, além do interesse político existia o desejo de exterminar os inimigos da religião cristã que continuamente faziam  incursões pelas fronteiras meridionais de Portugal, como Dom Afonso Henriques não era um general para comandar grandes batalhas campais, porém era extremamente audacioso e valente, por essa forma foram tomadas as cidades de Santarém e Beja, ao lado do rei combatiam alguns bravos que se notabilizaram por suas façanhas e entre eles podemos destacar Giraldo-Sem-Pavor que conquistou a principal cidade do Alentejo, Évora que fora obtida  unicamente com a decisão e o arrojo dos portugueses, não somente portugueses lutaram ao lado de Afonso Henriques, este rei empregou no combate aos Sarracenos em diversas vezes tropas estrangeiras entre elas os cruzados  que aportavam na foz do rio Douro, em viagem para a Palestina onde iam lutar para libertar Jerusalém cidade em que Jesus Cristo morrera e então sob o domínio dos Maometanos.

Essas expedições chamavam-se cruzados pelo fato dos soldados trazerem sobre o peito uma cruz e entre outras cidades conquistadas pelos  cruzados contam-se Lisboa e Alcácer do Sal.

Quando Afonso Henriques morreu aos setenta e quatro anos de idade e após mais de meio século de lutas constantes, legou ao filho Dom Sancho  um reino independente e muito mais extenso que os primitivos condados de Portugal e Coimbra. Dom Sancho I O Povoador,  segundo Rei de  Portugal empenhou-se em reorganizar a vida na cidade e nos campos abandonados, edificou castelos, fundou povoações e recebeu colonos  estrangeiros para as regiões devastadas pelas guerras. Apesar de não ser um guerreiro, aproveitou a passagem de uma cruzada pelo Tejo e  conquistou a cidade de Silves, sucedeu-o no poder Dom Afonso II seu filho que teve seu reinado embaraçado por lutas constantes com o clero, cuja influência era demasiada em Portugal, manteve algumas questões com o reino de Leão e consolidou a autoridade real.

Dom Sancho II o novo rei foi coroado aos treze anos de idade em conseqüência da morte do pai, pouco tempo mais tarde lançou-se em lutas contra os Mouros conquistando as cidades de Elvas e Serpa no Alentejo e toda a bacia do rio Guadiana. Em seu reinado as lutas da realeza com o clero chegou ao  ponto máximo, quando foi necessário a intervenção do Papa em Portugal para destronar o rei e nomear o regente Dom Afonso III irmão de Dom Sancho II, o novo rei concordou com todos os desejos do clero e dos nobres, embora com a intenção de não cumprir com suas promessas,  procurou adiar as questões políticas lançando-se em empreendimentos guerreiros, quando conquistou a cidade de Faro e todo o Algarve.

O Rei  de Castela julgava-se com direito ao Algarve e devido aos fatos Dom Afonso III cedeu sua conquista, porém em 1264 essa região lhe foi restituída e a partir dessa data os limites da nação portuguesa se mantém inalteráveis até aos nossos dias. Depois dessas vitórias militar e política Dom Afonso III julgou-se bastante forte para enfrentar o clero e a nobreza, resolveu confiscar todos os bens pertencentes a coroa e que durante  muitos anos o clero e os nobres haviam sonegados, devido aos fatos ocorridos ele foi excomungado pelo Papa, porém não se declarou vencido e depois de uma guerra civil o seu trono se manteve inabalável.

Dom Dinis O Lavrador

Dom Dinis O Lavrador

Com a sua morte subiu ao trono Dom Dinis O Lavrador que recebera uma educação primorosa, em 1290 fundou a Universidade que em 1307 foi transferida de Lisboa para Coimbra.
Sucedeu-lhe seu filho Dom Afonso IV, que era dotado de um espírito guerreiro, que aliado ao Rei de Castela derrotou os Mouros na celebre Batalha de Salado em 1340. Por motivos políticos ordenou a morte de Inês de Castro, por quem o seu filho Dom Pedro estava apaixonado.
Dom Pedro ao ocupar o trono de Portugal puniu implacavelmente os assassinos de Inês de Castro e pelo seu rigor foi chamado de Dom Pedro O Cru, que em seus últimos anos de reinado ele ficou meio desequilibrado, alternando crises de furor e de alegria ruidosas e em um dos episódios marcantes ocorridos durante o seu governo se destaca a coroação do cadáver de Inês de Castro, quando o rei ordenou a toda a nobreza que beijasse a  mão do cadáver em sinal de submissão. Esse acontecimento serviu de motivo poético a um dos mais lindos e emocionantes trechos de Os Lusíadas de autoria do imortal Luiz de Camões.

A Dom Pedro sucedeu Dom Fernando I que em seu reinado ocorreram uma serie de lutas desastrosas com o reino de Castela que só serviram para sacrificar o povo e gastar os pequenos recursos do reino. Por este motivo o rei tomou uma medida condenável, que foi o de alterar o valor das moedas em circulação, nesta época Dom Fernando apaixonou-se por uma dama da corte Leonor Teles casada com um fidalgo, o rei conseguiu a anulação  do casamento de Dona Leonor Teles e desposou-a em segredo no ano de 1371.

Os nobres a quem desagradava esse matrimonio incentivaram o povo contra o rei, que fugiu de Lisboa com Dona Leonor durante a ausência de Dom Fernando os Castelhanos sitiaram e incendiaram parte de Lisboa de onde se retiraram mediante uma indenização, quando do regresso do Rei Dom Fernando I a Lisboa, ele ordenou que fossem castigados os chefes da revolta.

Dona Leonor Teles

Dona Leonor Teles

Dona Leonor Teles foi reconhecida como rainha pela nobreza de Portugal com exceção do irmão do rei, Dom Dinis que por este motivo quase foi morto, porém foi banido de Portugal e nunca mais regressou a partia.
Quando Dom Fernando faleceu em 1383 Dona Leonor Teles assumiu a regência e proclamou como Rainha de Portugal a sua filha Beatriz que havia se casado com o Rei de Castela, a maior parte da nobreza recebeu sem  resistência essa situação, porém o povo que não suportava os castelhanos e principalmente Dona Leonor e devido ao descontentamento dois dos mais importantes homens da corte Nuno Álvares Pereira e Álvaro Pais  resolveram tirar proveito desse estado de ânimos, e prepararam um plano para derrubar Dona Leonor Teles.
Sobre o fidalgo galego com grande influência na corte Conde de Andeiro, foi arquitetado um plano para mata-lo, o plano foi levado a Dom João, o Mestre de Avis irmão do falecido Rei Dom Fernando I, que prontamente se prontificou-se a matar o Conde de Andeiro para o bem da pátria. O povo foi sendo preparado para apoiar a idéia de colocar no trono de Portugal um príncipe português , Dom João em um determinado dia chamou o Conde  de Andeiro para o vão de uma janela do Paço onde o matou com uma punhalada, imediatamente o povo se reuniu e marchou para o palácio real sob o comando de Álvaro Pais aonde Dom João de uma janela era  vibrantemente saudado pelo povo. No dia seguinte Dona Leonor Teles partiu para Alenquer cheia de ódio contra os habitantes de Lisboa, e cheia de ressentimento faz o convite ao Rei de Castela para invadir Portugal aonde  a população proclamava o Mestre de Avis como defensor e regente do reino, o movimento alastrou-se imediatamente na parte meridional de Portugal, mas do centro e do norte somente a cidade do Porto se declarou a  favor de Dom João, então em 1385 o Rei de Castela resolveu invadir Portugal para anexa-lo aos seus territórios por julgar que sua esposa Dona Beatriz era a verdadeira Rainha de Portugal, por este motivo marchou contra Portugal travando a Batalha de Aljubarrota na qual os portugueses muitos inferiores em número fizeram prodígios de bravura quando se destacou o Mestre de Avis e Nuno Álvares Pereira.

Dom joao I

Dom joao I

E pouco depois reuniram-se em Coimbra as cortes portuguesas onde o notável político português João das Regras declarou que Portugal não desejava constituir-se como domínio castelhano e que Dom João Mestre de Avis seria o mais indicado para ocupar o trono, então as cortes resolveram proclamar Dom João I como Rei de Portugal.

Na seqüência que se seguiu com os noves primeiros Reis de Portugal, sempre foram da mesma família com os filhos sucedendo aos pais, a isso dá-se o nome de dinastia, a primeira dinastia portuguesa foi portanto a de  Borgonha que teve como fundador Afonso Henrique que era filho de Henrique de Borgonha, com Dom João I começa a Segunda dinastias a de Avis que reinou até o desastre de Alcácer-Quibir quando o jovem Dom Sebastião convocando os jovens portugueses para dar combate aos Mouros na África desapareceu como prisioneiro ou morto em combate. Portugal perderia a independência de longos anos de glória e conquistas marítimas para somente recobrar o direito de se dirigir em 1640 sessenta anos mais tarde.

 

 

Volte para a História de Portugal

53 Respostas para A Formação de Portugal

  1. Gabriela escreveu:

    Esse site e muito bom e muito completo ele uma maravilha

    obrigada!

  2. Guilherme De Oliveira escreveu:

    É bom o site só o poblrma que ele é muito grande mas o site é muito bom
    !!!!OBRIGADO!!!!
    !!!!OBRIGADO!!!!
    !!!!OBRIGADO!!!!

  3. Julia *-* escreveu:

    tipo o texto é bom mas nao tem autor ?

  4. Hirondino escreveu:

    Ola Julia, obrigado pelo teu comentario. Eu escrevo tudo, ou seja, eu sou o autor.

  5. ingrid escreveu:

    oii eu gostei muito o brigado

  6. Ana escreveu:

    Gostei muito desse saite apesar que eu precisava só de algumas coisas
    Mas gostei muito obrigada
    Bjos

  7. diego escreveu:

    ♥♥♥nossa tinha que fazer um trabalho da formação de Portugal e encontrei esse texto adorei ♥♥♥

  8. sueni escreveu:

    eu amei esse site, eu fiz pesquisas da escola, com esse site, muito obrigado, mas eu acho que poderia ser mais resumido é muita coisa pra gente copiar…..

  9. adriele escreveu:

    é bom…….kkk…;;;

  10. francisco escreveu:

    gostei mas tem muito texto esta bom mas podia ser mais resumido mas gostei muito

  11. Sarah escreveu:

    Otimo .

  12. maria escreveu:

    GOSTEI ME AJUNDOU UM POUCO

  13. Maria Lúcia Batista escreveu:

    Excelente! Eu estou pesquisando a instrução elementar em Portugal. Alguma dica?
    Escreva sobre isso, se puder. João de Barros (1496-1570) Gramática da Língua Portuguesa com os mandamentos da Santa Madre Igreja (1539). Eu procuro alguma coisa antes dessa obra.
    Obrigada,
    Sucesso!
    Maria

  14. Tomás escreveu:

    Gostei mesmo! foi fixe para me ajudar a fazer um bom trabalho de historia,senão tava feito!!!! eheheheh

  15. António Oliveira escreveu:

    Portugal é um dos mais antigos países europeus cujas fronteiras se tem mantido estáveis desde a sua fundação.

  16. gabriel escreveu:

    nossa fiquei imprecionado com isso

  17. gabriel escreveu:

    que legal

  18. isabel castro escreveu:

    noooooooooooooossa………..
    q legal a historia de portugal..
    estou admirada com td isso parabens……….
    Beijokssssss…..

  19. Helder Franco escreveu:

    Eu sou um estudante de Psicologia residente actualmente em Londres. O facto de estar numa cidade onde cultura não falta e nacionalidades dos quatro cantos do mundo se reúnem num só sítio levou-me a querer saber mais e mais sobre a história e cultura não só do nosso país mas como um pouco de todo o mundo.
    Eu apenas quero deixar os meus parabéns pois está aqui um belo trabalho feito e recomendarei este site com todo o prazer.Adorei!
    Muito obrigado!
    Helder Franco

  20. micalsilva escreveu:

    nosssa esse texto e bem legalll gosti kkk

  21. Deni escreveu:

    legal vai me ajudar a fazer a provinha

  22. Anonimo escreveu:

    e mi ajudou na minha tarefa

  23. Anonimo escreveu:

    me ajudou na minha tarefa

  24. sara de carvalho escreveu:

    nossa q daora rararararara

  25. sara de carvalho escreveu:

    zika

  26. Andressa escreveu:

    Muitooo obrigadooooo mesmo me ajudou muito!

  27. maria julia escreveu:

    eu adorei a hitoria de portugal
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    eu e minha amiga

  28. vinicius escreveu:

    muito bom podia ter mais sobre isso

  29. vinicius escreveu:

    te q falar um pouco mais

  30. vitoria escreveu:

    adorei pena q. é muito grande

  31. Larissa escreveu:

    Ameeii

  32. carla escreveu:

    muito muito bom esse site eu precisava pra preencher a apostila e esse texto m ajudou muito

  33. marcela rodrigues ferreira escreveu:

    eu e minhas amigas adoramos muito
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  34. Mariah escreveu:

    Olha…. adorei mas podia ser resumidinho néh

  35. patrick escreveu:

    adorei mas poderia tar mais resumido!

  36. Rufino escreveu:

    Excelente site! Parabéns pelo conteúdo e apresentação.

  37. Sarah escreveu:

    eu gostei mais queria saber quem é o autor e editor do texto :D

  38. sara leguisamo escreveu:

    Feito…

  39. aline escreveu:

    gostei muito desse site ele me ajudou muito…apesar do txt ser bem cumprido.
    mais é mt bom o site bjs para tds (y) *-* ‘.’

  40. carlos escreveu:

    ta penssando que eu sou o que

  41. Lavi escreveu:

    Nossa história começa com Henrique de Borgonha, e a família Martins de Souza quem sabe como e quando começou?

  42. soraia$ escreveu:

    o site e fixe mes tipo quem e o autor ,respondam

  43. rafaela escreveu:

    eu gostei muito disso!!!!!
    CONTINUEM ASSIM!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  44. Pedro Octávio Cruvinel Almeida escreveu:

    Muito bom, mas seria melhor…Um resumo.

  45. matias escreveu:

    legal,muito bom

  46. pamela escreveu:

    gostei muito tomara que tiro dez nesta pesquisa foi o único site com toda historia da a formação de Portugal obrigado <3

  47. larissa escreveu:

    adoreiiiiiiiiiiiiiiii muito bom pena que o texto é grande :( mas é completo gostei muito do site

  48. josiane escreveu:

    obrigado super me ajudou

  49. iasmim escreveu:

    kkkkk ei potugual depois decho outro comentario

  50. giovana regina ramos escreveu:

    gostei muito desse site é bem interessante

  51. roberta machado escreveu:

    muito bom me ajudou muito

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*